Warning: in_array() expects parameter 2 to be array, string given in /home/mixse325/public_html/wp-content/plugins/wordpress-mobile-pack/frontend/sections/show-rel.php on line 37

A relação entre realidade histórica e a série Narcos

13 09

2015

Narcos é uma série norte-americana produzida para a plataforma de streaming Netflix. Dirigida pelo brasileiro José Padilha, o mesmo dos longas Tropa de Elite (1 e 2) e Robocop (2014),  e com o protagonista representado pelo premiado ator também brasileiro Wagner Moura, a série se mostrou fantástica pelo enredo, valor histórico e fotografia convincente.

Wagner Moura interpreta o famoso “senhor das drogas colombiano” Pablo Escobar. Ele tornou-se um dos homens mais ricos do mundo devido ao trafico, e dois agentes do DEA (Órgão para o Controle/Combate das Drogas) lideram uma missão de capturá-lo e matá-lo.

Com boa parte da trama baseada em fatos reais, ela mostra a ascensão do traficante colombiano e revive a história do comércio de cocaína a partir do Cartel de Medellín: uma rede de tráfico de drogas originária da cidade colombiana de Medellín que operou em vários países nas décadas de 1970 e 1980 com faturamento estimado de 600 milhões de dólares por dia chefiada pelo traficante Escobar. Ou seja, mostra a ascensão mais intensa do narcotráfico na América Latina.

l Ux SSr N

O diálogo com a história já se mostra logo no primeiro episódio, quando vemos uma das origens  mais aceitas pelos historiadores para o impulso do tráfico na Colômbia a partir dos anos 70 e a sua relação paradoxal com a ditadura chilena de Pinochet – que depôs de forma covarde o progressista Salvador Allende (muito embora isso não seja a ênfase da série, há apenas um rápido diálogo com a história mesmo). O surto do vício em cocaína nos EUA se mostra muito evidente e foi, inclusive, um dos fatores que enriqueceu Escobar (Wagner Moura), cuja tática de combate definida pelo então presidente norte-americano Ronald Reagan era acabar com o fornecimento da droga (e não com a demanda), isto é, a guerra contra as drogas ocorre na Colômbia – não em Miami.

Além disso, houve na realidade, assim como na trama, uma participação do traficante na política chegando, inclusive, ao congresso colombiano em 1982 (embora tenha saído depois por pressões diante de denuncias de sua relação com o tráfico). Também, são retratados na série vários acontecimentos como morte de políticos, sequestros e atentados que, em um dos casos, culminou na queda de um avião da companhia aérea Avianca matando mais de 100 pessoas.

gugw HBO

O que mais me atraiu na série foi o fato dos  acontecimentos serem muito bem “amarrados” tendo pouquíssimas coisas sem explicação, o que mostra um enorme detalhe na preparação do roteiro. Nada melhor do que o destaque de um detalhe em uma cena, por exemplo, que contribuirá para o entendimento de algum acontecimento posterior.

Essas relações com a história também me encantaram muito, embora haja fatos na série dos quais historiadores discordam – o que é normal, afinal, se trata de uma obra que apenas se inspirou em fatos verídicos e dramatizou para originar a série. Enfim, são mais de oito horas de série e, apesar de parte da crítica ter afirmado não valer a pena, reitero que vale sim e que talvez seja uma das melhores séries estreadas no ano.

A série já tem segunda temporada confirmada para sair em 2016, a primeira já se encontra disponível na Netflix

Um comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

© 2017 MixSea | Desenvolvido no Wordpress por Dk Ribeiro
%d blogueiros gostam disto: