E se os objetos do nosso cotidiano resolvessem contar suas pequenas aventuras?

17 08

2015

E se alguns objetos que usamos no dia a dia tivessem vida? E se algumas partes do corpo humano falassem? Imagine o que os objetos do nosso cotidiano diriam e/ou fariam se pudessem falar ou agir… por exemplo, o que um termômetro diria sobre ser colocado dentro do nosso corpo? 

ilustracoes-salim-objetos-24

Foi pensando nisso ilustrador Salim Zerrouki elaborou essas “Pequenas Aventuras” e nos proporcionou as respostas para essas perguntas super  importantes, ele partiu do ponto de vista da sociedade sobre alguns assuntos, e também refletiu um pouco sobre alguns ditados populares e superstições. Salim Zerrouki estudou na Fine Art School of Algiers, sua paixão o levou a perseguir uma carreira como diretor de arte em várias agências de publicidade antes de se estabelecer na Tunísia,em uma breve biografia do Zerrouki, ele se descreve como “uma criança grande perfeccionista apaixonada por imagens.” Confira:

ilustracoes-salim-objetos-1

ilustracoes-salim-objetos-3

ilustracoes-salim-objetos-4

ilustracoes-salim-objetos-6

ilustracoes-salim-objetos-8

ilustracoes-salim-objetos-9

ilustracoes-salim-objetos-13

ilustracoes-salim-objetos-25

continue lendo MIXSEA

Continue lendo »

Série fotográfica sobre os “Almendrones”: taxis cubanos da década de 60

16 08

2015

Há uma polêmica no Brasil envolvendo o serviço Uber (uma espécie de motorista particular com preço semelhante ao dos táxis, mas com carros e serviços mais confortáveis) e os tradicionais táxis que acusam o “concorrente” de não pagar os devidos tributos. Num contexto diferente podemos ver Cuba: um país conhecido pelo visual retrô que o faz aparentar estar da década de 60 em virtude do histórico boicote econômico ao país. Com seus serviços de táxis não podia ser diferente.

Os chamados “almendrones”, embora em sua maioria ilegais e concorrentes dos táxis tradicionais (que são propriedade do governo), são muito comuns em Havana e representam como ninguém o visual do país com veículos produzidos em meados do século passado.

O boicote econômico e a falta de relação comercial com países como os EUA impediu a entrada de veículos novos à população e dificultou a restauração dos modelos antigos o que tornou viável o serviço dos “almendrones”. Todavia, como as relações entre os EUA e a ilha tem melhorado no governo Obama, não se sabe se o serviço dos antiguinhos será mantido por muito tempo.

Em visita ao país, o fotógrafo Meinicke capturou imagens desses automóveis e, numa relação antitética, os “amendrones” foram clicados por câmeras e lentes de última geração: o mais próximo da modernidade que esses carrinhos chegaram.

Vale ressaltar o valor histórico-cultural do país e dos “antigos táxis” que são mais um retrato da estética cubana.

E aí, que tal ir a Havana dar rolê de “almendrone”?

Dinâmica social é o assunto principal de 3% que é a primeira série brasileira do Netflix

14 08

2015

3% é uma ficção científica que teve o seu piloto estreado em 2011, produzida pela Maria Bonita Filmes, e surpreendeu à todos por sua tamanha qualidade. O Netflix viu potencial na série e encomendou sete episódios pela Boutique Filmes, direção do uruguaio César Charlone, indicado ao Oscar pela cinematografia de “Cidade de Deus”, e atuação de João Miguel e Bianca Comparato.

 

Segundo Charlone: “em última instância, a série trás questões sobre a dinâmica da sociedade que impõe processos constantes de seleção, pelos quais todos nós temos que passar, gostemos ou não”.

A série tem Pedro Aguilera como escritor e começará as filmagens no começo de 2016 com tecnologia Ultra HD 4K,toda uma produção digna da distribuição mundial que terá. A equipe do Netflix Brasil esta empolgada com o projeto: “Estamos ansiosos para trabalhar com um time tão conceituado em nossa primeira produção produção original Netflix totalmente criada no Brasil. Temos certeza que este projeto fascinante será amplamente aclamado pelos nossos assinantes internacionais.” disse o VP de conteúdo local e independente do Netflix.

3 por cento netflix - Mixsea

O piloto de 3% tem 27 minutos e foi disponibilizado na internet, tentou ser vendido à várias emissoras de televisão, mas acabaram optando pelo Netflix, por ter mais a cara da proposta que tinham, depois de fechado o contrato, a série ganha novo enredo, elenco e personagens, mas a mesma vontade de fazer dar certo, e como sabemos que o Netflix arrasa, torcemos para que dê mesmo, porque potencial, tem e muito. Você pode ver o episódio piloto, que esta dividido em 3 partes, clicando > aqui.

2 minutos para descontrair o seu dia

12 08

2015

Vocês estão prontos?!  Porque é um caminho sem volta! A coisa que o doutor disse não vai sair da sua cabeça por dias. Clique somente se estiverem certos e convictos disso.


Todos juntos, vamos lá: Ooh Eeh Ooh Ah Aah Ting Tang Walla Walla Bing Bang!

As vezes precisamos tirar dois minutos do nosso dia para nos descontrair, para rir, nem que seja de uma coisa tão bobinha quanto essa.

Como as lentes das câmeras podem retratar as paranóias modernas

10 08

2015

Mr. Toledano, fotógrafo, criou em 2004 uma série chama “Hope and Fear” (esperança e medo), com a ideia de representar as paranoias da sociedade norte-americana fazendo uma reflexão sobre as esperanças e os medos, anseios e dúvidas, que nos rondam.

g

O fotógrafo faz questão de frisar que todos os trajes são reais e não contém nenhum tipo de retoque digital. A proposta de fazer essa série é que o expectador reflita sobre questões como “O que nós amamos? Qual é a nossa função social e o que é adoração? Do que temos medo?”, que o próprio Toledano fez.

a

e

É interessante perceber que as  nossas inseguranças, esperanças, medos, anseios , dúvidas, no final das contas viram consumo. A pressão da sociedade, muitas vezes não nos deixa suportar ter o que temos, ou ser quem somos…

 continue lendo Mixsea

Continue lendo »

© 2017 MixSea | Desenvolvido no Wordpress por Dk Ribeiro