A selvagem vida nas academias

04 04

2016

O canal Buff Dudes explora o ambiente, digamos que singular, das academias no mundo todo, eles fazem uma paródia simular aos documentários de vida selvagem da televisão, mas para mostrar situações que parecem mais rituais nas academias, que acontecem no mundo todo. É claro que eles utilizam do humor para mostrar como é a vida das pessoas neste ambiente, mas devemos pensar que milhões de homo sapiens frequentam diariamente as selvas urbanas que são as academias de ginástica, qual será o real papel deste ambiente na sociedade? E o que isso reflete?

O vídeo está em inglês, e não tem legenda, mas vale a pena o play. Veja como grupos de machos e fêmeas se comportam, em rituais estranhos e ruídos guturais para conseguir o que desejam:

Stardew Valley | Crítica – Jogo

30 03

2016

Título: Stardew Valley
Gênero: Indie, RPG, Simulação
Desenvolvedor: ConcernedApe
Distribuidora: Chucklefish
Data de lançamento: 26/fev/2016
Idioma: Inglês

Nota: nota 4 MIXSEA

Stardew Valley é um game Indie de RPG vivido no ambiente country, single player, de plataforma 2D, em que você controla um personagem que herda de seu avô uma fazenda e a partir disso começa suas aventuras no campo.

Muitos fãs do saudoso Harvest Moon não vão se decepcionar com esse belo jogo que tem características que se assemelham, para quem não conheceu esse clássico, ou gosta desse estilo Old School, garanto que terá sua expectativa atendida.

O tempo do jogo se passa entre as quatro estações, sendo elas seguidas como: Primavera, Verão, Outono e Inverno.

Em cada estação do ano, o jogador tem sementes diversificadas e específicas para comprar e fazer a sua plantação. As colheitas de frutas, verduras e legumes que você cultiva, são sazonais, surgem eventos em cada temporada e  auxiliam você a ganhar dinheiro, se alimentar, ganhar energia e também nas missões.

Logo no começo de sua jornada, você ganhará uma vara de pescar para que possa ter outra forma de renda e alimento. O jogo conta com minas, para extração de minério dando opção de criar objetos afim de facilitar sua progressão.
Nas minas, além de coletar minérios, você também vai enfrentar monstros que irão atormentá-lo enquanto estiver explorando, é bom estar sempre preparado para o pior e carregar sempre alguma arma que podem ser: adagas, espadas, marretas e também um estilingue.

O jogo permite que além das matérias primas extraídas do solo, do rio, das minas e dos animais, você possa criar produtos mais elaborados, como por exemplo: a criação do gado, se extrai o leite, que por sua vez possibilita produzir queijos.

É possível  que você faça modificações nas instalações, aperfeiçoando o ambiente, adquirindo novos equipamentos para te dar melhores e maiores possibilidades.

No jogo você pode se casar, mas nem todos os personagens estão disponíveis para o matrimônio, primeiro é preciso checar quem está solteiro no vilarejo para ter algum relacionamento. Existem 10 personagens disponíveis que o jogador pode escolher para ter um relacionamento, sendo eles: Alex, Harvey, Sebastian e Sam quem são os homens; Abigail, Haley, Leah, Maru, Penny e Elliott que são as mulheres.

O jogo se encontra à venda no Steam por R$24,99 e já recebeu mais de 12 mil análises positivas dos usuários steamworks.

 

VICIANTE!

Co-autor da crítica, Rodrigo Soares Tannús.

“Como eu Era Antes de Você” e “Depois de Você” | Resenha – Livro

29 03

2016

Já  ouviu falar na Jojo Moyes? A maravilhosa escritora já publicou 16 livros nos Estados Unidos, mas infelizmente desses 16, apenas 8 foram publicados aqui no Brasil.

Porém,entretanto, toda vai, hoje vamos falar apenas de 2 desses livros, o “Como eu era Antes de Você” e o “Depois de Você”.  Os nomes são parecidos né? Não é atoa haha, “Depois de Você” é a sequência do outro livro.

“Havia um curioso sossego em olhar o restante do mundo cuidar de suas vidas.”

Como eu era antes de você  é  a historia do milionário Will Traynor de 35 anos, que depois de um acidente fica paraplégico, e de Louisa Clark, uma moça sem ambição  nenhuma e que ainda mora com seus pais, deve ser uma história muito chata né?  NAAO, pelo contrário, é  uma história completamente emocionante que te envolve do inicio ao fim. Você  sorri, chora, se apaixona e sofre com os personagens da primeira a última página.

“Sabe, você só pode ajudar alguém que aceita ajuda.”

Mas infelizmente  a autora não conseguiu transmitir essa mesma emoção para o segundo livro.

Ao contrário do primeiro que é cheio de aventuras e momentos divertidos e diferentes o segundo tem uma historia repetitiva, parece que a narrativa não avança, não senti uma evolução  muito grande na personagem principal, ela fica sempre presa em seu mundo e demora muito para perceber o mundo a sua volta. A grande evolução  da personagem acontece apenas nas últimas paginas, em que coincidentemente (ou não), são também as páginas mais emocionantes.

“Alguns erros… apenas têm consequências maiores que outros. Mas você não precisa deixar que aquela noite seja aquilo que define quem você é.”

Já li outros livros da autora, me apaixonei por todos eles, chorei em todos também, mas infelizmente o “Depois de Você” só ganhou minha admiração  pela minha paixão com o primeiro  livro.

Mas quero saber de vocês, já leram? O que acharam? O Will também arrancou suspiros de vocês?

Ah não esqueçam!!! Neste ano vai ter filminho de “Como eu era Antes de Você”,  com o maravilhoso Sam Caflin, ainda não viu o trailer? Da uma olhadinha ai então:

Referencias presente em “Os Oito Odiados” de Quentin Tarantino

26 03

2016

Ollie Paxton  é um cinegrafista e editor do Reino Unido e em sua pagina do vimeo, ele postou um vídeo editado por com as referencias a outros filmes que Quentin Tarantino usou em seu mais recente filme “Os Oito Odiados”, veja a baixo o vídeo.

Caso você tenha gostado do vídeo e queira conhecer mais do trabalho de Ollie Paxton e so entrar no vimeo dele por aqui pois na pagina dele tem muitas coisas interessantes.

Escolas do usam a meditação para estimular o aperfeiçoamento pessoal dos estudantes e professores

24 03

2016

Quanta coisa aprendemos na nossa vida escolar não é mesmo? Raízes quadradas, Celomas, Mol, Orações subordinadas, Números irracionais, Geometria molecular, Dilatação térmica, Fossas oceânicas, e a lista segue… mas será que é isso mesmo que a vida nos quando crescemos?

Foi essa pergunta que motivou um grupo de pessoas a criar um projeto chamado MindEduca, no Espírito Santo, com a premissa de levar o conhecimento científico que engloba o desenvolvimento humano, com o objetivo de estimular o aperfeiçoamento pessoal, e consequentemente, em grupo. A meditação leva os estudantes a terem uma melhora de atenção e de aprendizagem, a diminuição do stress e a conscientização de qualidades como a amorosidade e o desapego.

Essa atitude me deixou muito feliz e intrigada. Há pouco tempo, vimos aquele caso que ficou famoso do aluno, do ensino fundamental, que de tão estressado e raivoso, entrou na sala dos professores de sua escola e quebrou praticamente tudo que estava a sua frente. Saber que há pessoas que se preocupam com o bem estar das crianças na escola me deixa feliz, pessoas que não querem só usar o cérebro delas como um HD armazenador que chega em casa com os olhos cansados e dores de cabeça. A final de contas a escola é também um lugar humanizador. É bom sempre pensar em que tipo de escola estamos colocando os nossos filhos, e em que tipo de experiencias que queremos que eles tenham neste espaço.

meditação

Regina Migliori, consultora em Cultura de Paz da Unesco que está colaborando com o projeto afirma: “Essa formação abordará a relação da pessoa consigo mesma, com suas ações no mundo e com a vida. Tem, ainda, o propósito de estimular a transformação pessoal de educadores em torno dos seguintes aspectos: emoções, atenção, convivência e processo decisório. Proporcionando, assim, a mudança de comportamento em seus contextos de vida

Após o sucesso de um teste do projeto que foi realizado em escolas do município de Serra, em 2014, o projeto será implementado aos poucos nas escolas das redes estadual e municipais do Espírito Santo, começando por uma etapa 100% dedicada aos educadores. Um alívio, não?

© 2018 MixSea | Desenvolvido no Wordpress por Dk Ribeiro